quarta-feira, 4 de novembro de 2009


Voto em tornar o dia de ontem no Dia Nacional dos Trolhas! Porque eles até merecem e ontem todos eles estavam a precisar duma certa atenção. Só isso explica o facto de ter sido abordada por exactamente todos os trolhas por quem eu passei, ou passaram por mim, já que aquele camião conduzido por senhores trolhas não foi excepção. Fico feliz que façam questão de me dizer que esta cidade ou aquela rua onde nos encontrámos tem meninas giras, mas eu aprecio meninos e acho que não poderia retribuir o mesmo gesto. Quanto a eu gostar do Benfica, não gosto, mas também não odeio, lá por ser Portista, não ligo assim tanto a futebol e não será por isso que deixarei de usar uma roupinha vermelha a conjugar com o branco, ou vice-versa. De qualquer modo, não deixei de pensar no meu futuro e no que não me dirão num ou outro dia que terei que visitar as obras...

3 comentários:

Rui disse...

Não fales mal dos trolhas sff, eles são a nossa mão de obra. E usei a palavra 'nossa' no sentido profissional, não tentes usurpá-la para sentidos afectivos. És uma pseudo-arquitecta e eu um pseudo-engenheiro civil, precisa(re)mos deles para ver crescer as nossas obras. 'Nossas', lá está, novamente estritamente profissional. Ideia básica do meu comentário: os trolhas são necessários - mesmo não sendo apelativos à vista - e os desrespeitos a tais pessoas desnecessários.

Pedro Correia disse...

bem te podias tornar benfiquista =P
Já imaginaste que nós sem trolhas em Portugal este nosso país perdia a piada toda...é por essas coisas que é bom ser tuga

Palavras disse...

- Pois, eu não falei mal dos trolhas, até porque irei necessitar tanto da sua função profissional como do seu respeito, não vá um fazer o que o sr Engenheiro diz, em vez de seguir o que foi dito pela sra Arquitecta. Só acho que tudo o que eles dizem agora, irá fazer parte das coisas que quererão dizer, mas por respeito à sr Arquitecta não dirão. Exactamente como ainda hoje é o dia que passando pela rua ouço o que ouço, contrariamente ao que acontece quando visito uma obra na presença do sr Engenheiro ou do patrão, que apenas olham sem dizer uma única palavra e se for preciso ainda pedem licença bem baixinho. ...é o normal nos homens...

- Pedro, meu querido, não sou Benfiquista, mas também não ligo muito a futebol, portanto não faz diferença. :p bj*