domingo, 30 de novembro de 2008

Há palavras que nos beijam

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído,
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neill


Obrigada my Juice!!!
Ensinas-me sempre imenso com as tuas sábias palavras!!
Adoro-te meu querido e tu sabes!!

3 comentários:

Anónimo disse...

Eu percebi, tu percebeste!

Um Alex é sempre um Alex, nem que onélio seja!
Lóbiu!!

t-zinha disse...

taniiiii, cheira me a amor no ar!
não sabia que tinhas estado doente...se calhar foi a doença do beijinho...é preciso cuidado com quem se beija!!!
beijinhas****

Neuza disse...

Hoje enquanto eu e a Joana Maria esperavamos por outras personagens para ir para o ensaio ouvimos essa expressão :)

Sábado não temos "aula", é ensaio em Oliveira. Numa próxima oportunidade hot hot hot eu comunico. Câmbio!

Beijoca