segunda-feira, 5 de outubro de 2009



Falas com interesse e entusiasmo, de certo com razão. Tento prestar atenção ao que dizes mas o meu sub-consciente faz-se sentir enquanto observo cada gesto teu!
Na escuridão da noite consegues captar toda a luz imitida pela Lua. A tua pele brilha formando todo o tipo de cores. Magnetizas-me levando-me a todo um mundo de desejos. Resisto a tocar-te, tenho a certeza que me viciará como uma droga e que nunca mais te largarei. Não é isso que quero, e sei que também não queres. Veneramos a nossa independência. Sorrio. Continuas a falar sem nunca teres perdido a noção de tudo que se passava em mim. Olhas para mim e sorris acalmando-me e acabando com qualquer tipo de pensamento que eu possa ter, até prefiro assim. Esticas o braço sem dizer nada, não precisas, já sei ler o teu olhar. Encosto-me em ti, nos teus braços, fazendo parar o tempo, nada de pensamentos, ideias, planos, sentimentos ou desejos, apenas o envolvente e a tua companhia.

2 comentários:

Rui disse...

"que nunca mais largar-te-ei" fica mal aplicado, neste caso. "que nunca mais te largarei" penso ser mais adequado. tambem gosto de aplicar os "-te-ei" mas neste caso acho q fica mal :P tenho de vir aqui ensinar-te a escrever? enfim.

Palavras disse...

Meu querido amigo, ainda bem que estás atento!Agradeço a correcção, se não fores tu não é ninguém! Um beijo!*